Notícias

Confederação de Hipismo e Ministério do Esporte anunciam projetos visando Rio 2016

Investimento inédito no Hipismo nacional soma R$6,494 milhões divididos entre Salto, Adestramento e CCE

hipismo_ME
Crédito: Jane Monteiro
Atribua uma nota:

A Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) e o Ministério do Esporte apresentaram nesta terça-feira o plano de investimento que irá beneficiar as três modalidades olímpicas durante os próximos anos. Os projetos focam na preparação das seleções permanentes de Salto, Adestramento e Concurso Completo de Equitação (CCE) para as principais competições internacionais, incluindo os Jogos Olímpicos Rio 2016.

"Estamos muito felizes com mais essa parceria com o Ministério do Esporte. Esses convênios são inéditos no Hipismo brasileiro e de extrema importância para realizarmos um trabalho consistente, não só no alto rendimento, mas também nas categorias de base. Pela primeira vez teremos a oportunidade de criar equipes técnicas fixas, que vão acompanhar de perto os nossos atletas e cavalos para oferecê-los as melhores condições de trabalho", contou Luiz Roberto Giugni, presidente da CBH.

Os convênios, que incluem o Plano Brasil Medalhas, o Bolsa-Atleta e o Complexo Esportivo de Deodoro, somam um investimento de R$6,494 milhões até 2016, sendo R$2.993.569,70 para o Adestramento, R$ 1.842.013,74 para o CCE e R$ 1.659.294,32 para o Salto. O plano é resultante de chamada pública lançada pelo Ministério em agosto de 2012. A CBH apresentou as propostas, cumpriu todas as etapas e procedimentos, entregou a documentação requerida e teve os projetos aprovados.

"Esse é o maior investimento na história do Hipismo nacional. Para nós, do Ministério do Esporte, é uma alegria acompanhar a evolução do trabalho da CBH nos últimos anos, que vem focando cada vez mais na profissionalização da gestão esportiva. Isso é fundamental para que tenhamos bons resultados e esse aporte é um reconhecimento desse esforço que o Luiz Roberto tem feito à frente da CBH", explicou Ricardo Leyser, Secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento.

O Plano Brasil Medalhas, lançado pelo Governo Federal em 2012, beneficia 21 modalidades olímpicas e 15 paraolímpicas. O Hipismo está entre as modalidades olímpicas selecionadas e o apoio federal será feito com recursos do Orçamento Geral da União e de patrocínio do BNDES. Para esse projeto, os atletas escolhidos foram os cavaleiros Doda Miranda, Rodrigo Pessoa, Marlon Zanotelli, Pedro Veniss e Bernardo Alves, os cinco melhores brasileiros no ranking da Federação Equestre Internacional.

"Cada Confederação beneficiada pelo plano escolheu os seus melhores atletas para receberem esse aporte. O papel do BNDES será oferecer todo o suporte necessário para eles se preparem da melhor maneira possível para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. É um prazer começar essa relação com a CBH e tenho certeza de que teremos excelentes resultados", disse Bernardo Borges da Costa, assessor da presidência do BNDES para patrocínios esportivos.

"Eu só tenho a agradecer ao Ministério do Esporte, ao BNDES, ao COB e à CBH por essa parceria. Eu vejo uma grande diferença da forma de como chegaremos às próximas Olimpíadas do que como chegamos às edições anteriores. Rio-2016 será a nossa principal competição pelo fato de estarmos em casa e todo esse apoio será fundamental para chegarmos ao nosso sonho de uma medalha de ouro por equipes", contou o campeão olímpico Rodrigo Pessoa.

O medalhista olímpico Doda Miranda reforçou as palavras do companheiro: "Hoje, a palavra sonho é a melhor oportunidade que temos de transformar em realidade a medalha de ouro. Já conseguimos medalhas olímpicas sem apoio algum, agora, com todo esse suporte temos chances reais nas disputas por equipe e individual".

No total, os convênios irão contemplar 13 atletas do Salto, 15 do CCE e 16 do Adestramento. Cada modalidade hípica terá um plano de trabalho que inclui treinamentos e competições no Brasil e no exterior. Os recursos serão utilizados para a contratação de técnicos e equipes multidisciplinares, realização de clínicas com treinadores estrangeiros, ajuda de custo aos atletas, participação em provas internacionais e fortalecimento dos torneios nacionais. Também irão subsidiar a formação dos conjuntos (cavaleiro e cavalo) incluindo seleções de base.

Ainda de acordo com a parceria firmada entre a CBH e o Ministério do Esporte, o Complexo Esportivo de Deodoro, na zona oeste do Rio de Janeiro e palco das provas de Hipismo durante os Jogos Olímpicos de 2016, será o principal local de treinamento, em solo brasileiro das seleções de Salto, Adestramento e CCE em preparação para as competições do calendário nacional e internacional. O primeiro passo dado para o início das atividades no local foi a transferência do Oi Athina Onassis Horse Show, principal evento de Hipismo na América Latina, que acontece em outubro, para Deodoro.

Galeria
Crédito: 1 de

Atribua uma nota:

Aguarde...